• novcaminhos

Alimentação saudável: 10 dicas para as crianças comerem melhor



É difícil encontrar uma família que não tenha tido algum período de seletividade alimentar com os filhos em casa, principalmente quando falamos de opções saudáveis, como frutas, legumes e verduras.


Preparamos 10 dicas para uma rotina alimentar mais tranquila e que podem ajudar a ampliar o paladar dos pequenos.


1 - Evite chantagem

Oferecer algo em troca para pressionar que a criança coma não é indicado por especialistas. Essa atitude pode criar memórias negativas associadas à comida e fazer com que a criança tenha mais dificuldade de aceitar aquele alimento ou mesmo outros novos no futuro.


2 - Mude a estratégia

Se a forma como você está apresentando a comida e o ambiente em casa não estão funcionando, porque não mudar a estratégia? Uma ótima dica é reunir a família em toda em volta da mesa, comendo os mesmos alimentos e deixando que a criança entenda a importância desse ritual.


3 - Seja o exemplo

Seguindo a lógica da dica anterior, o exemplo da família é muito importante para incentivar a alimentação saudável. Se eles não veem os pais comendo vegetais, por que comeriam?


4 - Aposte na variedade

Opções de legumes e vegetais, de cores diversificadas, podem te ajudar a entender o que a criança gosta mais. Também vale variar a forma de preparo, apresentando os alimentos crus, cozidos, em formas e texturas diferentes.


5 - Tudo bem não gostar de tudo

Você gosta de todos os tipos de frutas? Imaginamos que não. Por isso, não surte se o seu filho não gostar de um determinado alimento. Se ele não come mandioquinha de jeito nenhum, tudo bem trocar por batata ou outro item da mesma família.


6 - Cuidado com as substituições

A cena é clássica: a criança se nega a almoçar e os pais fazem de tudo para ele comer na hora do lanche, qualquer coisa, incluindo guloseimas. O problema é que ela acabará assimilando que basta recusar a comida para receber o que realmente quer comer. É preciso muito cuidado para que essa atitude não transforme a recusa alimentar num ciclo sem fim.


7 - Reveja suas expectativas

A recusa é uma etapa natural do desenvolvimento, e alguns estudos mostram que é preciso expor o novo ingrediente várias vezes — entre 8 e 15 — até ele de fato ser aceito. Vá colocando as novidades no prato sem pressão.


8 - Transforme a refeição em uma experiência lúdica

Criar uma carinha ou uma cena divertida pode despertar um novo interesse da criança no prato. Busque inspirações no Google e se surpreenda.


9 - Peça ajuda da criança para cozinhar

Cozinhar com os filhos é uma das maneiras mais célebres de contornar dificuldades alimentares. Quando são muito pequenos, podem ajudar a amassar uma fruta e até lavar alimentos. Aumente o nível de responsabilidade conforme a faixa etária. Ir ao supermercado e a feira juntos também são atividades que ajudam a lidar com a seletividade na hora de comer.


10 - Procure ajuda se necessário

A fase seletiva pode ir até os seis anos de idade. Se persistir após isso, ou ainda se a criança passar a chorar, cuspir ou até mesmo enjoar diante de novos alimentos, melhor procurar ajuda.

  • Branca Ícone Instagram

Contato

Telefone:

(13) 3251.5174

E-mail:

caminhos@escolanovoscaminhos.com.br

Localização:

Av. Senador Pinheiro Machado, 495 - Santos/SP.